sexta-feira, 14 de outubro de 2011

As medidas de austeridade

Parece-me que o próximo ano vai ser ainda pior que este. E, se já estamos a apertar o sinto, para o ano vamos sufocar com mais dois ou três furos no sinto para o poder apertar.

Mas de todas as medidas faladas, a que me causou mais perplexidade, foi a do aumento de 30 minutos/dia no horário de trabalho, no sector privado.
O Governo julga que, com esta medida vai aumentar a produtividade???  Primeiro, já todos trabalhámos mais 30 minutos, 1 ou 2 horas para além do nosso horário de trabalho. E não recebemos mais por isso e, no meu caso, nem reconheceram.

Hoje vi várias entrevistas, entre as quais a empregados e a patrões. As opiniões foram unânimes, não vai servir de nada e a produtividade vai manter-se. É precisamente o que acho.
Nesse 30 minutos a mais, o trabalhador, se quiser, pode não produzir. Pode ficar a fazer tudo menos trabalhar.

Eu sei que há muito trabalhador produtivo, que "dá o litro" no trabalho, porque gosta do que faz, porque quer progredir na empresa onde trabalha, etc. Mas, também há muito trabalhador que pouco ou nada produz.
Eu tive colegas que, a primeira coisa que faziam quando chegavam ao trabalho era, poisar as suas coisas, ligar o computador e, depois, ia beber um cafézinho e fumar um cigarro. Depois, regressados ao seu posto, viam o seu mail pessoal, ligavam a alguém, iam ao facebook, msn etc. Até tive colegas que jogavam na hora de trabalho. Depois a meio da manhã mais um cigarrinho e assim sucessivamente até à hora de saírem.
Este exemplo é o de falta de produtividade. Nestes casos é que se devia fazer alguma coisa. E, isso cabe às chefias supervisionar o que os seus trabalhadores fazem.
Por isso é que não me importo nada de trabalhar por objectivos. Ter números a cumprir ao final do dia, faz-nos trabalhar, faz-nos ser produtivos.

A meu ver passava por aí o aumento da produtividade, o de trabalhar por objectivos. Eu já trabalhei e posso dizer que até é bem mais estimulante.

1 comentário:

  1. Exactamente o que eu penso. E acho que isto ainda pode ser prejudicial porque se imaginarmos uma fábrica com 16 trabalhadores a fazer mais 30 minutos cada um são 8h horas de trabalho que a fábrica ganha logo menos um trabalhar que é necessário.

    ResponderEliminar