segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Corridas #4

Ontem foi fazer a Corrida do Tejo, ou seja, 10km desde Algés até à praia da torre.
Como sempre fui com o meu namorado, mas como tem um tempo bem melhor que o meu, tinha uma pulseirinha especial que lhe dava acesso à frente da corrida. Assim, lá fiquei eu cá para trás, sozinha no meio de tanta gente.

A corrida é boa de se fazer, é tão bem organizada como outras que já fiz e, claro, a vista é fantástica. A marginal é linda.

Para aí ao quilómetro 8 apeteceu-me desistir. Estava farta de ir a correr sozinha, mas pensei "faltam só 2km, não vais desistir agora". Até que ouvi uma voz conhecida a dar apoio aos corredores que passavam por ela. Era a Rosa Mota, a correr no meio de tanta gente. E, eu apanhei-a e ainda melhor, passei-a ;). Ela ficou para trás e lá fui eu até ao final. Fiquei toda contente e não me interessou nada que ela já não tenha a mesma pedalada do passado, o que me interessou naquele momento foi que a passei. Nada mais!!!
Aos 9km vi uma mensagem  num placard, de um dos patrocinadores, que dizia "não te esqueças que quando chegas aos 9km ainda te falta metade da corrida". E é verdade. O último quilómetro custa e se custa, parece que nunca mais se vê a meta. Escusado será dizer que quando cheguei o meu namorado já estava bem descansado a ver-me passar.

Só ouve um senão. Não entregaram medalha nenhuma (como é normal no fim de qualquer corrida). Deram-nos foi um saquinho com água, sumo, barra de cereais e montes de panfletos. Um deles era o que informa que podemos levantar as medalhas, no Oeiras Parque, a partir de dia 26. Alguém acha isto normal? Eu não acho nada. Aliás porque queria a minha medalha mal acabasse a corrida e não uns dias depois.
Esta, a meu ver, foi a única falha da organização. Mas o que é que se pode fazer...


1 comentário: