segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Detesto

 
Pessoas que transparecem/fazem querer que têm uma moralidade tal, quando na realidade não são nada assim. Detesto e irritam-me os falsos moralismos.

Sem entrarmos em conceitos filosóficos, podemos dizer que aquele que tem moral é aquele "que denota bons costumes, boa conduta, segundo os preceitos socialmente  estabelecidos pela sociedade ou por determinado grupo social; que denota honestidade; correcto (in Dicionário Houassis da Língua Portuguesa).

Ora ter moral é ser o que acima está descrito mas, mesmo assim, por vezes deparo-me com pessoas completamente diferentes desta definição. Não consigo entender porque é que as pessoas são fingidoras, são falsas, chegando mesmo a ser hipócritas.  Para quê tanta falsidade? Onde é que pensam chegar ao ser assim?
Sei que enganam muita gente com o seu fingimento, mostrando-se preocupadas, atenciosas, etc. Mas depois, todas as suas atitudes e comportamentos são diferentes. Agem de uma maneira, mas quem as ouve falar parecem ser um posso de virtudes, de boas condutas.

Estas pessoas fazem-me passar do sério. Chego a ficar fora de mim com tal comportamento. Como não sou nada assim, não consigo tolerar pessoas assim. Eu, quando me preocupo com alguém é genuinamente e não para parecer bem, para ficar bem vista. Quando faço algo por alguém é porque o quero fazer e não porque daí possa ganhar algo. Não faço nada com segundas intenções, faço porque quero e não para subir na consideração de alguém. Quem quer assim, muito bem, quem não quer que dê meia volta e vá embora.
Não sei ser falsa, não sei ser hipócrita. Tento ser sempre verdadeira nas minhas atitudes para com os outros. Sou honesta para com os outros, portanto o que exijo deles é que o sejam para comigo.

Não é pedir muito.

1 comentário:

  1. A verdade é sempre o melhor caminho a seguir, mas infelizmente existe muita gente falsa e interesseira:(

    ResponderEliminar