quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

O nosso SNS vai de mal a pior

Se não tivesse acontecido comigo, mais precisamente com a minha mãe, eu diria que esta história parece um pouco exagerada.

A minha mãe anda com dores num joelho já algum tempo. Com tal, foi ao médico do centro de saúde (na altura ainda não tínhamos médico de família) que lhe passou credencial para fazer uma ecografia ao joelho e posteriormente teve de fazer um rx. Segundo os relatórios, a minha mãe tem ruptura do menisco, perda de cartilagem e liquido no joelho. Já com médica de família, esta pediu ao Hospital de Sta Maria uma consulta de ortopedia. Até aqui tudo bem, até que na semana passada chegou a marcação da consulta. Fui eu que abri a carta e, quando vi 03-01, pensei "então a marcação já vem depois da data???". Enganei-me, não tinha visto o ano. Para meu espanto o ano é 2013. Sim, 2013!!!
Como a minha mãe tinha consulta marcada para ontem com a médica de família, resolveu levar a carta para esta dar uma olhadela. Posso dizer que a senhora ficou atónita. Até verificou quando é que tinha pedido a consulta. O que fez em Outubro do ano passado.
Do que é que a médica se lembrou!!! De fazer um relatório, bem sucinto, colocá-lo num envelope e encaminhar a mãe para a urgência. Escusado será dizer, que o próprio envelope tem escrito a palavra urgência e vermelho e em tamanho grande. A médica disse à minha mãe para, hoje de manhã, ir para a urgência.

Hoje, lá fomos nós. Chegámos ainda não eram 9h da manhã e lá passamos por uma senhora que dá a entrada na urgência, depois por um médico que faz as triagens e lá fomos parar à sala de espera.
Aí encontrámos um enfermeira a quem pedimos informações, que nos disse para aguardar, porque ainda não estava nenhum ortopedista. O quê??? Não há ortopedistas nas urgências??? É verdade não há ortopedistas nas urgências e posso dizer que os senhores doutores só chegaram já passava das 11h.

Enquanto aguardámos na sala de espera, digo-vos que vi um pouco de tudo. Isto porque as pessoas que estão em macas ficam ali no meio da sala de espera. Parecem animais num matadouro. Vi uma senhora que estava a soro, cuja agulha saiu, cheia de sangue na mão que já escorria pelo lençol e, se não fosse uma voluntária do Hospital, ninguém tinha dado por nada. Depois, vi uma criança com o braço partido à espera que chegasse o ortopedista, mais uma senhora que foi atropelada numa passadeira à espera do mesmo. Quando a minha mãe foi chamada, ficaram lá pessoas que já lá estavam antes de termos chegado.

Agora o melhor, a consulta com o dito médico ortopedista. O diálogo foi mais ou menos assim:
- Então Dona Ana Paula, o que a trás por cá?
- Estou aqui por causa do meu joelho, com uma carta passada pela médica de família. Fiz um rx e uma eco ao joelho e devido ao que foi detectado a minha médica pediu uma consulta para aqui. Só que foi marcada para daqui a um ano. Ela achou por bem que viesse cá, de urgência.
O médico lê a carta. - Ahhh, isto não é urgência nenhuma. Eu aqui não posso fazer nada, a não ser passar-lhe um analgésico e, quando tiver mais dores, tem de usar canadianas.
- O quê!!! - disse a minha mãe. Está a dizer-me que vou ter de aguardar um ano pela consulta. E, como posso eu trabalhar, atrás de um balcão, com muletas?
- Eu sou médico e não percebo de condições de trabalho. Tem de se arranjar. Pois existem muitas pessoas na mesma situação e eu não posso antecipar a sua consulta. Como lhe disse, isto não é urgência nenhuma.
- Então daqui a um ano já não tenho joelho!!! Tenho perda de cartilagem, tenho líquido no joelho e ruptura do menisco e não me fazem nada!!!
- Não é bem assim. Mas, se tiver um bom seguro de saúde...!
A minha mãe aí passou-se.- Olhe, se eu tivesse seguro de saúde, pode ter a certeza que não estava aqui a perder tempo consigo! Nem o senhor comigo!
Levantou-se e saímos da sala sem dar oportunidade ao médico para dizer mais nada.

É assim que os médicos tratam as pessoas. São arrogantes e não se preocupam minimamente (este nem pediu para ver os exames). Tratam-nos como gado. E, este suposto médico era bem novo. Devia ter os seus 30 anos. Razão para, a meu ver, já ser um pouco diferente. Enganei-me!!!
São grandes "cromos", porque têm grandes notas para entrar no curso de medicina e depois falta-lhes o mais importante, que é o saberem falar/lidar com as pessoas, o saberem ouvir. Isso não lhes é ensinado nas faculdades. É triste passar por situações destas, mas a realidade é que elas acontecem. Não só neste Hospital, como também em muitos outros. À que reflectir bem e muito tem de ser mudado, caso contrário não vamos a lado nenhum. Infelizmente, precisamos deste senhores, que se dizem médicos, mas que não passam de uma banda de carroceiros mal educados,sem hombridade. É "disto" que apanhamos pela frente. Felizmente, não são todos assim. Ainda bem!!!



8 comentários:

  1. e assim mesmo, nem ha comentario possivel, nem imaginas o que sofri quando comecei com as dores nas costas, duas vezes ao hospital cheia de dores e nunca me fizeram nada, nem umas injecçoes me passaram, apenas creminhos e o soro no momento, em que ia para acsa e ja nao tinha o efeito do soro. tive que recorrer ao privado, onde o medico passou logo as injecçoes e claro diagnosticou-me logo e fez o que era necessario, e uma tristeza muito grande a saude que temos. tb quando tive a soro, olho para o chao vejo uma poça de sangue, aquilo ficou mal posto, era sangue por todo o lado e a enfermeira vira-se p mim e diz que nao fazia mal, fiquei com o braço negro durante quase 2 semanas,nao ha explicação para isto. e agora com os cortes, os enfermeiros e os medicos descarregam nos pacientes, e nao tem a minima sensibilidade, há pessoal que nao devia andar ali, nao se compreende, nao tem perfil nenhum.
    beijo

    ResponderEliminar
  2. Eu também já tive experiências desagradáveis dessas. Isto encontra-se de tudo, bons médicos e péssimos médicos, o engraçado é que, normalmente os péssimos médicos encontramo-los no SNS e não no privado. Porque será??

    Só me resta desejar as melhoras à tua mãe e aconselhar-te a procurar outro médico.

    ResponderEliminar
  3. O serviço de saúde em Portugal esta cada vez pior...

    http://Styleloveandsushi.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. E pensas pedir o livro de reclamações? Devias pensar nisso. Tenho duas coisas a dizer-te:

    1 - Eu fui operada ao menisco interno devido a um acidente de trabalho. Tinha seguro mas quando fiz os primeiros exames descobri que estava grávida, logo, desmarcaram a operação e só pude ser operada quando o meu filho deixou de amamentar. Ora, isto aconteceu quando o meu filho fez dez meses, ou seja, eu fiz a ruptura no menisco interno em Agosto de 2009 e só fui operada em Março de 2011. E durante os três últimos meses de gravidez tinha que andar na rua com o peso da barriga. Tive dores, é certo, mas suportei bem. Sei que a idade é diferente entre eu e a tua mãe mas no meu caso nem podia tomar analgésicos para as dores!!! Ora porque estava grávida ora porque estava a amamentar. Fui operada no privado, claro, porque foi através do seguro e digo-te que é uma operação muito simples e rápida. Hoje estou como nova.

    2 - Quanto ao profissionalismo dos médicos tenho exactamente a mesma opinião que tu. Desde que o meu pai morreu que odeio médicos e só me apetece cuspir-lhes em cima. O meu pai não foi tratado com dignidade e como ele há milhares de doentes neste país que são mal tratados por uma classe que os devia tratar com mais respeito. E concordo plenamente no que diz respeito às notas desses doutorzinhos da merda: entram com médias elevadas numa faculdade e julgam-se mais que os outros por causa disso. Mas falta-lhes saber o mais importante.

    Entretanto, contei tudo lá no meu blog e nem me quero recordar. Entre Outubro e Novembro de 2010 está lá tudo escrito.

    Boa sorte :)

    ResponderEliminar
  5. Não somos obrigados a ter seguro de saúde... o SNS devia dar-nos o tratamento devido.

    ResponderEliminar
  6. A tua situação foi realmente muito má, e é inadmissível. Mas eu que também sou médica, garanto-te que não são todos assim. No meu piso, há médicas e enfermeiras que são espectaculares com crianças do oncológico, e acredita que se reflecte no bom ambiente que temos.
    parabéns pelo blog. *

    ResponderEliminar
  7. Esse caso é mesmo de mais! E o pior é que não é só na área da saúde, apesar de esse ser o local onde as pessoas devem merecer mais atenção! Mas basta ir a qualquer local como serviço de bolsas, secretarias, serviços médicos, etc. que na maior parte das vezes somos tratados no despacho, sem nos ouvirem e sem um mínimo de simpatia!
    Felizmente também há o lado oposto, as pessoas que se preocupam genuinamente, mas penso que essas são cada vez menos!:/

    ResponderEliminar