terça-feira, 28 de janeiro de 2014

domingo, 26 de janeiro de 2014

E pronto...

Uma semana depois de ter dado um valente trambolhão, voltei às corridas. Foram 7.6km e que bem que me senti.

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Bébé desaparecido na Madeira

Foi encontrado hoje, numa levada perto da casa dos pais.E, felizmente não aconteceu nada à criança.

Sou só eu com minhoquices, ou esta história está muito mal contada???


terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Disto das praxes

Tenho visto por aí muitos comentários, uns totalmente contra, outros a favor. As opiniões são muitas e têm suscitado muita celeuma.

Na minha vida de estudante universitária, fui "praxada", não me tendo recusado a fazê-lo. Posso dizer que nunca me senti humilhada pelos meus colegas "doutores" e que me diverti imenso. Para mim e, no meu caso, serviu para me integrar, conhecer gente nova de variadíssimos cursos, não só do meu. Também serviu para, muitas das vezes, nos podermos (eu e os meus colegas de turma) "baldar" às aulas.

Enquanto "doutora" também "praxei", nunca humilhando os novos alunos e respeitando sempre a sua vontade de serem ou não "praxados".

Sei que existem praxes parvas, humilhantes e até violentas. Posso dizer que, na faculdade que frequentei nunca presenciei nada que pudesse por em causa a integridade física ou psicológica dos novos alunos. Com isto não quero dizer que tal não acontecesse.

O que é certo é que nunca ouvi um caso como o da Lusófona.

Se sou a favor das praxes, claro que sou com o seu peso e medida, para o que aconteceu no caso da Lusófona não aconteça.

Sinceramente, neste caso, acho estranho que, alguém que já acabou o curso ainda se sujeite às "praxes" e que sejam, todos, de tal maneira inconscientes, ao ponto de irem para uma praia já de noite, em pleno inverno e meterem-se dentro de água.

Acho muito conveniente

A "chamada" amnésia selectiva (a propósito das mortes dos estudantes no Meco).

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

A injustiça da justiça

Condenar uma pessoa, mesmo que a pena suspensa, porque se ficou convicto que a mesma era culpada, é uma merda.

Foi isto que senti hoje, ao ouvir uma sentença.

Ainda dizem que o desporto dá saúde

A mim deu-me dor e que dor.

Ia eu ontem, muito bem a correr, com o respectivo, preparada física e psicologicamente para fazer 10km (não tenho corrido com muita frequência), quando aos 8km, dou um valente pontapé num daqueles quadrados dos passeios e dou um trambolhão daqueles.

O namorado levanta-me tão rápido, que quase não senti o chão, mas fiquei com uma dor no dedo do pé tremenda e para não falar do joelho que, ficou com uma bela ferida, todo vermelho e inchado. Resultado, parei, gelei a caminho de casa e para recordação uma bela dor no joelho. Quase não o consigo dobrar.

Voltar às corridas, quiçá para o final da semana (se já não me doer).

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

No trânsito

Como é que é possível conduzir e ler ao jornal ao mesmo tempo? Alguém me consegue explicar?

Hoje de manhã, trânsito doido em Lisboa devido à greve do metro, deparo-me, ali junto das Picoas, com um senhor a conduzir e a ler o jornal. E não se limitava a ter o jornal em cima do volante, mas na mão e a virar as páginas (em andamento). Acho brilhante...ou não!

Depois dizem que bateram...

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Sócrates e as suas mentiras

Não bastava ter acabado o curso a um Domingo. Agora, também ia à escola primária aos Sábados em plenas férias grandes.

É que, em 23 de Julho de 1966 (Sábado), o senhor lembra-se que ia a caminho da escola aquando do jogo Portugal - Coreia do Norte.

O homem é mesmo um mentiroso compulsivo.

Vergonhoso

Doente esperou dois anos por colonoscopia no Hospital Fernando Fonseca (Amadora-Sintra).

Após um rastreio ao cancro colorretal positivo, o médico de família desta doente encaminhou-a para o Hospital Amadora-Sintra para efectuar uma colonoscopia. Acontece que, esperou  dois anos por uma consulta de gastrentorologia e por uma colonoscopia. Resultado: cancro inoperável. Estando, neste momento, a fazer quimioterapia para redução do mesmo e eventual operação.

Director do serviço de Gastrentorologia do hospital desculpa-se com carência de recursos humanos. Ou seja, o senhor acha que há desculpa para está situação. Vá mas é badamerda...

A senhora já tem cancro, poderia ter sido tratada há dois anos e neste momento quem sofre é ela, pois é ela que está gravemente doente.

Isto da crise não é para todos

Estamos em crise mas, a PS4 está esgotada neste cantinho da Europa onde muitos não têm o que comer!!!

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Isto não é normal

Preocupo-me mais eu que, não sou dona deste escritório, do que o meu patrono, que raramente põem cá os pés!!!

Não me levem a mal, mas...

Morreu o Eusébio e, paz à sua alma. Mas...

É verdade, levou o nome de Portugal onde não se pensava que pudesse chegar, até porque se vivia sob o regime de Salazar, foi um grande jogador, o melhor no seu tempo, levou o Benfica a altos voos. Concordo com tudo isso, mas senhores...a vida continua e o país parou.

Neste momento, o Governo podia decidir aumentar os impostos em 200% e ninguém ou quase ninguém dava por isso, porque o Eusébio morreu e, neste momento, é o que importa.

Já Salazar dizia, e com toda a razão, este país quer Fátima, Fado e Futebol. O resto que se lixe.